Chegada de Bezerra de Menezes à Espiritualidade
Palavras de vida eterna

Estendamos o bem 

“Um dia perguntei ao Dr. Bezerra de Menezes, qual foi sua maior felicidade quando chegou ao plano espiritual . ele responde-me:
A minha maior felicidade, meu filho, foi quando Celina, a mensageira de Maria Santíssima, se aproximou do leito onde eu ainda estava dormindo, e, tocando-me, falou, suavemente: 
Bezerra, acorde, Bezerra!

Abri os olhos e vi-a, bela e radiosa.

- Minha filha, é você Celina?!

- Sim, sou eu, meu amigo,. A mãe de Jesus pediu-me que lhe dissesse que você já se encontra na Vida Maior, havendo atravessado o pórtico da imortalidade. Agora, Bezerra, desperte feliz.

Chegaram os meus familiares, os companheiros queridos das hostes espíritas que me vinham saudar. Mas, eu ouvia um murmúrio, que me parecia vir de fora. Então, Celina me disse:
- Venha ver, Bezerra.

- Ajudando-me a erguer-me do leito, amparou-me até uma sacada, e eu vi, meu filho, uma multidão que me acenava, com ternura e lagrimas nos olhos.

- Quem são Celina? - perguntei-lhe - não conheço a ninguém. Quem são?

São aqueles a quem você consolou, sem nunca perguntar-lhes o nome. São aqueles Espíritos atormentados, que chegaram às sessões mediúnicas e a sua palavra caiu sobre eles como um bálsamo numa ferida em chaga viva; são os esquecidos da terra, os destroçados do mundo, a quem você estimulou e guiou. São eles, que o vêm saudar no pórtico da eternidade. ...
E o Dr. Bezerra concluiu:

- A felicidade sem lindes existe, meu filho, como decorrência do bem que fazemos, das lágrimas que enxugamos, das palavras que semeamos no caminho, para atapetar a senda que um dia percorreremos.

Fonte: livro "O Semeador de Estrelas"

Sueli Caldas Schubert.
Pesquisa  / Luiz Pimenta.

No pão espiritual


“Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: “amas-me?” e disse-lhe: “Senhor, tu sabes que eu te amo.” Jesus disse-lhes: “Apascenta as minhas ovelhas.” — (JOÃO, 21.17)


1 Assinalando a preocupação do Divino Pastor, em se dirigindo a Simão Pedro para recomendar-lhe as ovelhas, é importante observar que o Mestre não solicita qualquer atividade maravilhosa.

2 Não ordena que o apóstolo lhes converta os balidos em trechos de música.

3 Não determina se lhes transforme o pelo em fios de ouro.

4 Não aconselha se transfigure o redil em palácio.

5 Não exige se lhes conceda regime de exceção.

6 Não manda se lhes dê asas.

7 Roga simplesmente para que o apóstolo lhes administre alimento, a fim de que vivam e produzam para o bem geral, sem fugir aos preceitos do trabalho e sem abolir os ditames da evolução.

8 Certo, no entanto, o Excelso Condutor não sentia necessidade de advertir o companheiro quanto ao cuidado justo de não se adicionarem agentes tóxicos aos bebedouros e à forragem normal.

9 Assim também, no domínio das criaturas humanas.

10 Trabalhadores das ideias, chamados a nutrir o pensamento da multidão, em verdade, o Cristo não espera mudeis os vossos leitores e ouvintes em modelos de heroísmo e virtude. Conta com o vosso esforço correto para que a refeição do conhecimento superior seja distribuída com todos, aguardando, porém, que a mesa de vossas atitudes se mostre asseada e que o alimento de vossas palavras esteja limpo.

Fonte: Reformador, novembro 1962, p. 242

Chico Xavier
pelo espírito Emmanuel

“Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem.”  Paulo (Romanos, 12:21) 


Repara que, em plena casa da Natureza, todos os elementos, em face do mal, oferece o melhor que possuem para o reajustamento da harmonia e para a
vitória do bem. 

Quando o temporal parece haver destruído toda a paisagem, congregam­-se as forças divinas da vida para a obra do refazimento. 

O Sol envia luz sobre o lamaçal, curando as chagas do chão. 

O vento acaricia o arvoredo e enxuga­-lhe os ramos. 

O cântico das aves substitui a voz do trovão. 

A planície recebe a enxurrada, sem revoltar­-se, e converte­-a em adubo precioso.

O ar que suporta o peso das nuvens e o choque da faísca destruidora, torna à leveza e à suavidade. 

A árvore de frondes quebradas ou feridas regenera­-se, em silêncio, a fim de produzir novas flores e novos frutos. 

A terra, nossa mãe comum, sofre a chuva de granizos e o banho de Iodo, periodicamente, mas nem por isso deixa de engrandecer o bem cada vez mais. 

Por que conservaremos, por nossa vez, o fel e o azedume do mal, na
intimidade do coração?

Aprendamos a receber a visita da adversidade, educando­-lhe as energias para proveito da vida. 

A ignorância é apenas uma grande noite que cederá lugar ao sol da
sabedoria.

Usa o tesouro de teu amor, em todas as direções, e estendamos o bem por toda parte. 

A fonte, quando tocada de lama, jamais se dá por  vencida. 

Acolhe os detritos no próprio seio e, continuando a fluir, transforma­-os em bênçãos, no curso 
de suas águas que prosseguem correndo, com brandura e humildade, para benefício de todos.

Fonte: livro "Fonte Viva"

Chico Xavier

Pelo espírito Emmanuel

Luz Sublime

Guarda contigo a fé por luz sublime,
constantemente acesa trilha afora,
que nada te detenha ou desanime,
no esforço de servir que te aprimora.

O sofrimento é benção que redime,
Valoroso cinzel ferindo embora,
E fardo que sustentas, se te oprime,
É o generoso apoio que te escora.

Recorda o Mestre Amado e continua
Plantando amor na gleba triste e nua,
Dos corações crivados de amargores...

E encontrarás ao termo dos teus passos
O Cristo que, a sorrir, te estende os braços,
Do seu Reino de excelsos resplendores!

Fonte: livro "Tende Bom Ânimo"

Chico Xavier

Pelo espírito Auta de Souza

Ajuda-te

Se queres conforto e paz, nunca reproves ninguém.
Se buscas os bens do Céu, começa fazendo o bem.
No campo da humanidade, não colherás a alegria, sem plantar com toda gente a graça da simpatia.
Ajuda-te! Em toda parte, bondade é sol que abençoa.
Planta nobre não prospera sem bases na terra boa.
Caridade, gentileza, auxílio, calma e perdão são das preces mais sublimes
Em teu altar de oração, recorda que em toda vida, conforme a nossa procura, o Criador nos responde
Nos gestos da criatura

Fonte: livro "Relicário de Luz"

Chico Xavier

pelo espírito Casimiro Cunha

Plantação Espiritual

Numa só existência podem viver diversas situações. Num só dia, é possível a prática de atos numerosos. Numa hora apenas tua mente pode criar múltiplos pensamentos.Não olvides que todos nós estamos plantando espiritualmente no tempo.  Cada instante, quando queremos, pode ser o começo de gloriosa renovação, tanto quanto pode representar o início de quedas e equívocos deploráveis. Auxilia a ti próprio, produzindo o bem.  Sem que percebas, vives invariavelmente nas vidas que te cercam.Se a mentira ou a aversão te visita, não te esqueças de que constituem os frutos de tua própria plantação.  Cada criatura reflete em si aquilo que lhe damos ou impomos.  Nas alheias demonstrações para conosco é possível analisar a qualidade de nossa sementeira.  Aprendamos a cultivar o auxílio fraterno, o trabalho construtivo, a concórdia santificante e a solidariedade fiel, através de todos os passos e de todos os minutos, porque o amanhã será resposta viva a nossa conduta de hoje, tanto quanto a bênção ou a dor de agora consubstanciam os resultados das nossas ações de ontem.  Caminha iluminando a estrada com os recursos da bondade e da alegria, convicto de que a nossa família na Eternidade é constituída de nossas próprias obras, e, desse modo, estarás organizando magníficos moldes espirituais para as tuas novas tarefas na elevação ou na reencarnação em futuro próximo.

                           Francisco Cândido Xavier

Pelo espírito Emmanuel

Perdoe e Viva

Se você não perdoar hoje...

Amanhã, por certo, o seu dia será mais escuro,

Seus passos estarão menos firmes,

Seus problemas surgirão mais complexos.

Sua mágoa doerá muito mais...

Se você não perdoar agora,

Que será do seu caminho, depois?

Desculpe enquanto é tempo, para que, de futuro, não recaiam sobre sua cabeça os padecimentos e as queixas de muitos.

Esqueçamos o mal para que o mal não se lembre de nós.

O incêndio da aflição devasta a consciência que não conseguiu bastante força para lavar-se nas águas vivas da grande compaixão.

Quem não perdoa os erros dos semelhantes, condena a si mesmo.

Quem não olvida as ofensas, transforma-se num fardo de crueldade.

Descerremos a janela de nossa compreensão cristã para o ar livre do bem que tudo renova, tudo aproveita e tudo santifica e, auxiliando ao nosso irmão do caminho, quantas vezes se fizerem necessárias, nossa romagem para Jesus não sofrerá tropeços e crises, porque, usando o amor para com os outros, seremos, gradativamente, convertidos em felizes instrumentos do Amor de Nosso Pai Celestial.

Francisco Cândido Xavier

Pelo espírito Meimei

Sentimentos Fraternos

Quanto, porém, à caridade fraternal, não necessitais de que vos escreva, visto que vós mesmos estais instruídos por Deus  que vos ameis uns aos outros.” Paulo (I Tessalonicenses, 4:9) 

Forte contra­senso que desorganiza a contribuição humana, no divino  edifício do Cristianismo, é o impulso sectário que atormenta enormes fileiras de seus seguidores. Mais reflexão, mais ouvidos ao ensinamento de Jesus e essas batalhas injustificáveis estariam para sempre apagadas. Ainda hoje, com as manifestações do plano espiritual na renovação  do  mundo, a cada momento surgem grupos e personalidades, solicitando fórmulas do  Além para que se integrem no campo da fraternidade pura. Que esperam, entretanto, os companheiros esclarecidos para serem efetivamente irmãos uns dos outros? Muita gente se esquece de que a solidariedade legítima escasseia nos ambientes onde é reduzido o espírito de serviço e onde sobra a preocupação de criticar. Instituições notáveis são conduzidas à perturbação e ao extermínio, em vista da ausência do  auxílio mútuo, no terreno da compreensão, do trabalho e da boa­  vontade.Falta de assistência? Não. Toda obra honesta e generosa repercute nos planos mais altos, conquistando  cooperadores abnegados. Quando se verifique a invasão da desarmonia nos institutos do bem, que os agentes humanos acusem a si mesmos pela defecção nos compromissos assumidos ou  pela indiferença ao ato de servir. E que ninguém peça ao Céu  determinadas receitas de fraternidade, porque a fórmula sagrada e imutável permanece conosco no  “amai­vos uns aos outros”.

Livro "Pão Nosso"

Francisco Cândido Xavier

Pelo espírito Emmanuel

O auxílio virá

O problema que te preocupa talvez te pareça excessivamente amargo ao coração.
E tão amargo que talvez não possas comentá-lo, de pronto.
Às vezes, a sombra interior é tamanha que tens a idéia de haver perdido o próprio rumo.
Entretanto, não esmoreças.
Abraça o dever que a vida te assinala.
Serve e ora.
A prece te renovará energias.
O trabalho te auxiliará.
Deus não nos abandonará.
Fazê silêncio e não te queixes.
Alegra-te e espera porque o Céu te socorrerá.
Por meios que desconheces, Deus permanece agindo.

Francisco Cândido Xavier

Pelo espírito Emmanuel