A Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro foi fundada no dia 11 de junho de 1941.  E fundar uma Casa como esta na década de 40, tendo por base os ideais de Ciência, Religião e Moral, e as características que a distinguem, numa época em que existia pouca liberdade religiosa, e quando o movimento espírita ainda era visto com certo preconceito e, em alguns casos, até perseguido; não foi, sem dúvida, tarefa fácil para um grupo de abnegados idealistas que, alicerçados pela ciência, pois em sua maioria eram médicos, engenheiros, advogados e militares, encabeçados pelo médico Dr. Levindo Gonçalves de Mello, que inspirado pelo espírito de um médico francês de nome Charles Demeure, recebe a incumbência de fundar um "hospital espírita" na cidade do Rio de Janeiro.  Assim, no início de 1941, o Dr. Levindo intensifica sua luta pela fundação de uma entidade associativa que ligasse a Medicina e o Espiritismo , a bem da Humanidade e da Ciência, e em luta contra o materialismo Ateu.
Depois de muitas reuniões, cheias de vitórias e derrotas, a campanha produziu a definitiva criação da Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro.  Graças ao amparo do Alto e aos confrades de grande valor moral, doutrinário e científico, conseguiu-se unir a Medicina ao Espiritismo pela primeira vez na história da Humanidade, do Mundo, da Ciência, da Medicina e do Espiritismo.
Muitos foram os Confrades que auxiliaram Dr. Levindo eficientemente na criação da Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro, mas, em obediência à justiça e à verdade, alguns nomes de pessoas eminentes se destacam, pois sem sua cooperação decisiva a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro teria fracassado naquela época:
Sr. Milton de Andrade (pseudônimo utilizado pelo Jornalista Arthur Massena)
Dr. Arthur Lins de Vasconcellos Lopes (Advogado)
Dr. Telêmaco Gonçalves Maia (Médico)
Sr. Aurino Barboza Souto (Presidente da Liga Espírita do Brasil)
​Em 1958, assume a presidência o Sr. Arthur Massena, que presidiu a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro pelo período de 30 anos, sendo substituído pelo  Sr. Nilvandro Barroso, atual presidente de honra, que se manteve como presidente até 2015, quando passou o cargo ao Sr. Manuel Fortunato Rodriguez, que se manteve como presidente até 2019, ano em que veio a desencarnar.
A Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro, durante muitos anos, respondendo aos ideais de pesquisa, foi o centro de investigação psíquica e, transmissor de conhecimentos através de conferências proferidas por diversas personalidades do campo da ciência, no sentido de proporcionar suporte mais tangível ao fenômeno espírita/espiritualista de origem transcendental e psíquico.  Tendo, assim, publicado alguns trabalhos no suplemento do Jornal dos Esportes chamado "Mundo Azul" e na Rádio Copacabana, no Rio de Janeiro.  Por este motivo, o nome da SMERJ foi levado ao conhecimento do público em geral, dentro do Brasil e no exterior, passando a ser procurada por inúmeras pessoas, muitas das quais à procura de um socorro espiritual para os males que as afligiam.
Em 2005, buscando a adequação ao Novo Código Civil, a Sociedade de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro tem sua razão social alterada para Associação de Medicina e Espiritismo do Rio de Janeiro.